20 de dezembro de 2017

[Resenha] Adelphos - A Revelação - M. Pattal

TÍTULO: Adelphos – A Revelação (Livro 1)
AUTOR(A): M. Pattal.
PÁGINAS: 372
CLASSIFICAÇÃO: ⭐⭐⭐⭐⭐
ONDE COMPRAR: Loja PenDragon e Amazon

Sinopse: Enzo, Mila e Dan são três adolescentes com deficiência que acreditam ser possível competir em iguais condições com os demais Atletas Olímpicos. Enzo é surdo e treina na modalidade Tiro com Arco. Mila tem glaucoma de nascença e treina na Ginástica Artística, enquanto Dan usa uma prótese na perna esquerda para treinar no Atletismo.
De uma forma inesperada, após o contato com uma luz misteriosa, eles são transportados para um mundo fantástico chamado Oykos, parcialmente dominado pelo Dragão Ponéros.
Enquanto tentam encontrar as respostas e o caminho de volta para casa, eles precisarão enfrentar os perigos que surgem durante a jornada. Seres das trevas, chamados Éktros tentarão impedi-los de chegarem ao único local capaz de fornecer as respostas que precisam: a Terra de Adelphia.
Em Oykos os preparativos para os Jogos da Liberdade estão a todo vapor. Apesar do nome positivo, os Jogos são mortais e o seu resultado pode alterar o destino de todos os habitantes daquele mundo. Enquanto isso, os rumores de que um evento chamado "A Revelação” estaria prestes a acontecer e acabar com o domínio do dragão, tornam o cotidiano dos Oykanos tenso, gerando grande instabilidade entre as Terras.
Adelphos é uma saga de tirar o fôlego, repleta de aventuras, surpresas, reviravoltas e mistérios que prendem o leitor da primeira à última página, ao mesmo tempo em que o leva a refletir sobre dilemas e conflitos do mundo real.

Resenha:
Hey BookLovers, tudo bem com vocês? Espero que sim. Hoje trouxe mais uma resenha, desta vez de Adelphos do autor M. Pattal.
Adelphos – A Revelação é o primeiro livro de uma série de fantasia. Um livro que lhe faz viajar, literalmente, na história. Logo no início somos apresentados a Enzo, Mila e Dan, jovens que possuem duas coisas em comum: a primeira é que eles tem alguma deficiência; e a segunda que estão se preparando para as Olimpíadas. Os adolescentes vivem em estados diferente: Enzo é do Rio de Janeiro, Mila é de Santa Catarina e Dan da Bahia; Mesmo com todos os desafios que enfrentam devido à deficiência, eles ainda precisam aguentar o preconceito e até mesmo a rejeição de parentes próximos.
- … Como você pode ver, cada um de nós temos os nossos problemas. Isso sem contar a discriminação; no meu caso duas: a deficiência física e a cor da pele. Mas quer saber? Com medalha ou não, já somos vencedores por enfrentar tantas adversidades em nosso mundo. - Dan”

Enquanto estão vivendo suas vidas normalmente, treinando e se divertindo uma coisa estranha acontece, uma luz misteriosa aparece para os três jovens e, como todo adolescente curioso, eles acabam indo ao encontro dela. Ao ser tocada ela teletransporta os três para um mundo desconhecido – a Terra de Oykos. Um mundo onde é subdivido em 12 terras que é dominada pelo Dragão Ponéros, que leva dor e sofrimento para o povo. Porém há uma Resistência, os Adelphos, pessoas que recebem a Pistis e proteção de Pneuma, eles por sua vez não acreditam no dragão.
“…. - Como eu disse o tempo é um presente dado a você para usá-lo com sabedoria. Se você tiver magoada com alguém, é necessário perdoá-la e não esperar que o tempo resolva as coisas. O tempo não resolve nada, quem resolve é você. - Honar”

Enzo, Mila e Dan não conhecem nada nem ninguém na nova terra, e isso os deixa, de certa forma, assustados e com muitas dúvidas. Mas para saber as respostas precisam chegar a Terra de Adelphia.
Durante a jornada dos três rumo a Adelphia acabam fazendo novos amigos e descobrem certas habilidades que não possuíam na terra de origem. Mas, mesmo com essas habilidades os jovens enfrentam muitos perigos, o que torna a viagem ainda mais complicada. O melhor de tudo é que eles também recebem muitos conhecimentos a respeito dos Oykanos.
Em Oykos acontece Os Jogos da Liberdade, onde um habitante de cada Terra é escolhido para irem a uma ilha onde há perigosos assassinos e criaturas sinistras. Confesso que na hora que li sobre Os Jogos da Liberdade me veio na memória a trilogia Jogos Vorazes, e admito que amei a referência, pois amo Jogos Vorazes, o autor acertou muito na referência.
- …aquilo que você pensa determina o que você sente, e aquilo que você sente determina como você age. Você precisa impedir que seus pensamentos maus gerem emoções ruins que te levarão a atitudes erradas.”

Agora vamos a minha opinião, Adelphos é muito bem construído e pensado, pois Pattal criou um universo totalmente novo, e confesso que não são todos que conseguem essa proeza. Os personagens são bem construídos, o que tornou a leitura muito boa.
A narrativa é em terceira pessoa e conta as aventuras de cada jovem em capítulos alternados, o que me fez gostar mais ainda do livro, pois com essa distribuição de capítulos podíamos conhecer mais de cada um, assim como também ver suas dificuldades.
Pattal escreve de uma forma simples, o que faz a leitura fluir bastante. Uma coisa que me chamou atenção foi a riqueza de detalhes que ele colocou na história/escrita, desde uma característica física até detalhes do ambiente. O livro é repleto de ensinamentos que fazem o leitor refletir bastante sobre a vida e no que devemos dar valor. Uma super indicação para os amantes de ação e aventura, além, claro, amantes da fantasia. Eu gostei muito de tudo, todos os elementos e escrita. Só sei que preciso do segundo livro, urgentemente 💜

Um grande abraço e que Pneuma esteja com vocês. Muito obrigado!!!
Share:

0 comentários:

Postar um comentário